Os textos e comentários contidos nesta seção representam e expressam unicamente a opinião do autor, e não do jornal Diário Notícias, com base na Lei de Liberdade de Expressão incisa na Constituição Federal Brasileira.

Amarena - Um romance em Londre - Cap 6

02 Dezembro 2018
Autor :  

Trajava um vestido púrpura, até os joelhos, um scarpim preto e um colar discreto de perólas negras... iguais aos seus olhos... escuros e brilhantes como a noite... me observavam em conjunto ao mais belo e cativante sorriso que eu já havia visto.
Olá - disse ela. – Sou Svetlana!


Por um segundo eu apenas sorri... uma mulher tão bela a minha frente, e eu em um estado deplorável, com a roupa toda molhada de suor pela distância percorrida de bicicleta e a pé. Mas ela parecia não ter se importado com isso.
Observando-a por inteiro, medi-a dos pés a cabeça. Notei alguns anéis em suas mãos, mas nenhuma aliança. Graças a Deus! Ela segurava um belo copo enfeitado com um guarda-chuva, um drink de uma cor bem familiar...


Svetlana. Svetlana! Um nome tão horrível soava como poesia aos meus ouvidos. Ela deveria ser da Rússia ou Polônia, pelo seu sotaque e pronúncia de inglês acentuada.
- O..Oi..-gaguejei- Sou David. É um prazer conhecê-la.
Ela simplesmente sorriu e levou o copo a boca, aquela bebida avermelhada... eu não tirava os olhos de sua boca enquanto ela degustava o liquido.
- Podemos nos sentar?- perguntei, puxando logo uma cadeira da primeira mesa em frente ao bar. – O que você está bebendo?
- Amarena! –respondeu ela com uma gargalhada curta. – Nunca encontrei alguém que gostasse de amarena, houve vezes que eu pensei ser a única. Mas quando vi você lá no pub tomando o segundo drink, achei o máximo. Você deve gostar bastante, não é?

Veio-me ao paladar o gosto doce e amargo daquela bebida horrível, poderia me lembrar daquele gosto para o resto da vida. Aquelas experiências que você nunca mais quer repetir.
- Eu simplesmente adoro Amarena. – respondi. – E acredita que tem gente que acha ruim?
Levantei o braço olhando para o garçom encostado no balcão e disse:
- Por favor, me sirva um Amarena.

Qualquer sacrifício seria válido. Eu estava completamente hipnotizado pela beleza de Svetlana. Em sua boca um batom vermelho escuro, lábios entreabertos deixavam iluminar um sorriso que parecia ser infinito.
- Não achei que viria. – disse ela. – Senti algo estranho quando vi você no pub. E por coincidência, tomando o meu drink favorito.
- Quando você me deu seu telefone, fiquei intrigado e acho que com esta mesma sensação. –respondi. - E a propósito, eu adoro Amarena. É meu drink favorito também, acredita?
- Você não é de Londres não é? perguntou ela
- Não , eu sou do Brasil. – respondi. –Estou aqui a trabalho.
- E o que você faz David? – retornou ela.
-Sou músico. –disse eu. – Tenho uma banda de rock, e vamos tocar no The World's End neste final de semana.
- Então você é um desses? – sorriu ela. – Um cara barulhento?
- Pode se dizer que sim. - eu respondi. – A música e a poesia estão comigo desde sempre. Apesar de o nosso som ser antigo e pesado, nossas músicas tem letras bem compostas, falam de amor e paixão, experiências de vida que já passei. Acho que de certa forma, sou um romântico cinematográfico, aquele que vê poesia em tudo e chora em filmes da Disney.
-Nossa! Estou impressionada, Sr. Amarena! – brincou ela.
- E você ,Srta. Svetlana... qual é a sua história? – Também não é de Londres, certo? – perguntei.
Corando as bochechas, ela novamente sorriu e disse:
- Sou de Volgogrado, na Rússia. É uma cidade histórica, mas não tem futuro. Vim para Londres para tentar mudar minha vida.
Neste momento o brilho e o sorriso desapareceram do seu rosto. O mesmo ar de tristeza que eu havia visto antes a assombrava novamente. Ela baixou a cabeça.

Numa reação imediata, eu coloquei a mão em seu rosto, colocando-o novamente em minha direção. Seus olhos brilharam, mas o semblante triste permanecia.

Não menti quando eu disse que chorava em filmes da Disney. Ela olhava fixamente para mim e eu comecei a declamar:
-“Deixa ir ...tire o peso dos seus ombros pra seguir...sem se lamentar dos tombos...deixa entrar...essa luz que te define...no final... ficarão somente as recordações...”

Como se tivesse sido salva, novamente um sorriso brotou de seu rosto, os olhos se tornaram mais brilhantes e lacrimejantes.

continua...


Link patrocinado:
Assista :A família do futuro - Disney - 2007

  • Redes Sociais:
398 Views
André Faria

André Faria é administrador de empresas, sócio do Diário Noticias, presta serviços de Gestão e Consultoria Comercial a empresas do segmento de alimentos, músico  apaixonado por rock'n'roll, pratica esportes radicais nas horas vagas e não consegue de maneira alguma fazer um regime , pois odeia brócolis e vegetais.

O Diário Notícias é um jornal dinâmico e interativo.Nossos ideais são pautados na seriedade e comprometimento. Nossa missão é informar e levar conhecimento a toda a população interessada, independente de opção política, religiosa ou social . Diário Notícias : Compromisso com a notícia!