Mundo

Premiê culpa concessionária por queda de ponte e declara estado de emergência em Gênova

15 Agosto 2018
Autor :  

Giuseppe Conte dará início ao processo para retirar a concessão da Autostrade per l'Italia. Desabamento parcial da ponte Morandi deixou 39 mortos; buscas prosseguem.

O
O premiê italiano, Giuseppe Conte, culpou nesta quarta-feira (15) a concessionária pela queda de uma ponte de Gênova, que deixou pelo menos 39 mortos, sendo três crianças. Ele não irá esperar uma decisão da Justiça e dará início ao processo para retirar a concessão da Autostrade per l'Italia, responsável pela manutenção da estrutura.

Conte ainda declarou estado de emergência de 12 meses na cidade do noroeste do país, onde as buscas por sobreviventes prosseguem.

Na manhã de terça-feira (14), a ponte Morandi, que atravessa uma área densamente habitada de Gênova, entrou parcialmente em colapso durante uma chuva intensa. Por ela, passa a rodovia A10, que liga cidades no Norte da Itália ao Sul da França. Além dos 39 mortos, o desastre deixou 16 pessoas feridas, 12 delas em estado grave.

Mais cedo, o ministro dos Transportes disse que a empresa seria alvo de multas pesadas.

Antes do anúncio feito pelo premiê, a operadora Autostrade per l'Italia afirmou que não encontrou sinais de problemas na estrutura da ponte antes do desastre. A empresa, que é responsável pela gestão e pela manutenção da estrada, declarou ter realizado vistorias regulares e sofisticados na ponte.

O Ministério Público de Gênova investiga o caso.

O estado de conservação da ponte e sua capacidade para suportar grandes aumentos de intensidade e tráfego ao longo dos anos foram tema de debate público no país após a tragédia.

Colapso
O desabamento ocorreu por volta de 11h15 de terça-feira (por volta de 7h15 no horário de Brasília) durante uma forte chuva que atingia a região.

A maior parte da estrutura caiu no leito do córrego Polcevera, mas trechos enormes caíram sobre casas, nos galpões e nas ruas abaixo. Luigi D'Angelo, funcionário da Defesa Civil italiana, disse à Reuters que havia cerca de 30 carros e entre 5 a 10 caminhões no trecho da ponte que desabou.

O governo da Ligúria informou que 432 pessoas, de 11 prédios, foram obrigadas a ficar fora de casa após a queda da ponte.

Fonte: (G1)

446 Views
Gisele Ramos

Gisele Ramos é designer gráfico formada em Publicidade e Propaganda, diretora da Gitramos Publicidade, redatora do Diário Notícias e está atualmente em processo para uma cirurgia bariátrica. Não se incomoda nenhum pouco em ser gordinha,mas a saúde vem sempre em primeiro lugar.  Instagram: giseletramos

E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O Diário Notícias é um jornal dinâmico e interativo.Nossos ideais são pautados na seriedade e comprometimento. Nossa missão é informar e levar conhecimento a toda a população interessada, independente de opção política, religiosa ou social . Diário Notícias : Compromisso com a notícia!